Início do cabeçalho do portal da UFERSA

Engenharia Florestal

FOM

 

Segundo o Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CONFEA) o Engenheiro Florestal trabalha com dois grandes segmentos. No primeiro, há uma preocupação com o meio ambiente e com questões referentes à qualidade do solo, da água, do ar, do subsolo e de ecossistemas com ênfase no reino animal e vegetal. Outro campo de trabalho é a gestão ambiental com ênfase na qualidade de vida da população que vive nas cidades e os problemas urbanos que crescem cada vez mais, como poluição, degradação da paisagem natural e perda da diversidade biológica.

Segundo as diretrizes do Ministério de Educação e Cultura (Resolução MEC Nº 3 de 02 de fevereiro de 2006) o Engenheiro Florestal deve ter uma formação profissional que revele, pelo menos, as seguintes competências e habilidades:

  1. estudar a viabilidade técnica e econômica, planejar, projetar, especificar, supervisionar, coordenar e orientar tecnicamente;
  2. realizar assistência, assessoria e consultoria;
  3. dirigir empresas, executar e fiscalizar serviços técnicos correlatos;
  4. realizar vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e pareceres técnicos;
  5. desempenhar cargo e função técnica;
  6. promover a padronização, mensuração e controle de qualidade;
  7. atuar em atividades docentes no ensino técnico profissional, ensino superior,pesquisa, análise, experimentação, ensaios e divulgação técnica e extensão;

florestal

  1. conhecer e compreender os fatores de produção e combiná-los com eficiência técnica e econômica;
  2. aplicar conhecimentos científicos e tecnológicos;
  3. conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos;
  4. identificar problemas e propor soluções;
  5. desenvolver, e utilizar novas tecnologias;
  6. gerenciar, operar e manter sistemas e processos;
  7. comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica;
  8. atuar em equipes multidisciplinares;
  9. avaliar o impacto das atividades profissionais nos contextos social, ambiental e econômico;
  10. conhecer e atuar em mercados do complexo agroindustrial e de agronegócio;
  11. compreender e atuar na organização e gerenciamento empresarial e comunitário;
  12. atuar com espírito empreendedor;
  13. conhecer, interagir e influenciar nos processos decisórios de agentes e instituições, na gestão de políticas setoriais.

O Engenheiro Florestal estará habilitado a atuar em atividades relacionadas com:

avaliação e perícias rurais; cartografia e geoprocessamento; construções rurais; comunicação e extensão rural; dendrometria e inventário; economia e mercado do setor florestal; ecossistemas florestais; estrutura de madeira; fitossanidade; gestão empresarial e marketing; gestão dos recursos naturais renováveis; industrialização de produtos florestais; manejo de bacias hidrográficas; manejo florestal; melhoramento florestal; meteorologia e climatologia; política e legislação florestal; proteção florestal; recuperação de ecossistemas florestais degradados; recursos energéticos florestais; silvicultura; sistemas agrossilviculturais; solos e nutrição de plantas; técnicas e análises experimentais; e tecnologia e utilização dos produtos florestais. Também estará apto a atuar na pesquisa, na extensão e no ensino; e, como profissional autônomo, na prestação de assessoria, consultoria, elaboração de laudos técnicos e receituários florestais e ambientais, bem como a ser um empreendedor.

Por estar a UFERSA inserida no semiárido nordestino o engenheiro florestal, formado na instituição, terá o domínio do conhecimento sobre a região, que é essencial para a exploração de forma sustentável, como também a conservação e a preservação, dos seus recursos naturais, relevando as potencialidades e a preocupação social com o meio ambiente. Em se tratando do Rio Grande do Norte o egresso poderá trabalhar em projetos de Recuperação de Áreas Degradadas, Estudos de Impactos Ambientais (EIA), Licenciamento Ambiental, planos de manejo, educação ambiental e florestal, nos setores de petróleo, energia eólica, cerâmica, mineração, empreendimentos agropastoris, turismo, entre outros.

22 de setembro de 2014. Visualizações: 1399. Última modificação: 27/11/2014 14:09:22